Blog de DHJUPIC

Em todo Brasil, Juventude Franciscana (JUFRA) ecoa o Grito dos Excluídos e Excluídas



By  Subsecretaria Nacional de DHJUPIC da JUFRA do Brasil     20:51    Marcadores: 
“Pela Vida grita a Terra... Por Direitos todos nós!”, foi em torno desse lema que jufristas de Fraternidades da Juventude Franciscana (JUFRA) de diversas localidades de todo Brasil participaram ou realizaram atividades em torno da 17ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas.

-Campo Grande-MS:

Os/As participantes do 17º Grito dos/as Excluídos/as participaram de concentração em frente ao palanque oficial do desfile cívico-militar, pautando o combate à corrupção e em defesa da justiça social. Neste ano, em Mato Grosso do Sul, o enfoque foi pelo fim da violência e o extermínio de jovens, que são vítimas do crime organizado, da pobreza, da falta de oportunidades e do trânsito. A Juventude Franciscana (JUFRA) se somou com as Irmãs Aparecidinhas Franciscanas, com a defesa dos direitos dos Povos Indígenas, e a Pastoral da Juventude (PJ), abordando o fim da violência e o extermínio dos jovens.

-Bom Conselho-PE:

O 2° Grito dos/as Excluídos/as da cidade de Bom Conselho/PE, realizado no dia 07 de Setembro de 2011, foi organizado pela Fraternidade de JUFRA Luz Clara, onde saíram às ruas vestidos de saco de lixo, distribuindo panfletos à população mostrando sobre o que é o Grito e quais são os gritos da cidade, entre eles: Poluição do Rio Papacacinha, despejo do lixo hospitalar em lugares inapropriados, devastação das árvores, descaso com a Fauna e Flora, falta de saneamento em alguns bairros da cidade e despreocupação com o cuidado do Parque José Feliciano dos Santos. No dia 05/09 também foi realizado um debate sobre o Grito dos/as Excluídos/as na Rádio Papacaça, e distribuição de mudas de plantas.

-Brasília-DF:

No dia 07 de setembro, cerca de 25 mil pessoas marcharam contra a corrupção na capital do país. A Esplanada dos Ministérios ficou lotada de pessoas, de um lado um desfile cívico, do outro pessoas manifestando contra a falta de Ética na política A Juventude Franciscana do Regional Centro (DF/GO/TO) se fez presente nas atividades por meio de jufristas das Fraternidade São Pio (Setor Sudoeste-DF), Fraternidade São Marcos e São Lucas (P Norte-DF) e Fraternidade Nossa Senhora de Fátima (Céu Azul-GO). Gritaram pelo fim do voto secreto no Congresso Nacional, a adoção da Ficha Limpa e a aprovação do Projeto de Lei que torna a corrupção um crime hediondo.

-União dos Palmares-AL:

O Dia da Pátria começou com a celebração da Santa Missa, na qual a Comissão do Grito foi responsável. A Caminhada iniciou-se as 16:00h em fronte do alojamento dos desabrigados das enchentes e, embora com alguns imprevistos, realizaram caminhada até a Câmara de Vereadores, sempre dando a palavra para Pastorais, categorias e movimentos que participavam durante o percurso. Um dos gritos foi: “Direito à Educação, Passe Livre no Busão!”, dado pelos universitários que gritavam por um ônibus gratuito para estudarem na UFAL (Maceió-AL). Estiveram presentes moradores do Acampamento da última enchente, que mostraram coragem para falar sobre as péssimas condições que vivem dentro de uma barraca de lona a mais de um ano a espera da entrega das casas. Também elaboraram abaixo-assinados reivindicando do Governo do Estado as seguintes pautas: o aceleramento da construção das Escolas Estudais e da Universidade Estadual (UNEAL), entrega das casas dos desabrigados e ônibus gratuito para os universitários. Estes abaixo-assinados serão entregues na sessão da Câmara Municipal e ao Governador do Estado.

-João Pessoa-PB:

O 17º Grito dos/as Excluídos/as de João Pessoa-PB foi realizado no dia 06/09 reunindo como um dos principais eixos o Meio Ambiente, em defesa dos Povos tradicionais, contra as grandes hidrelétricas e a Transposição, contra o agronegócio e a aprovação do novo Código Florestal, contra o envenenamento de fontes, de rios, do solo, dos alimentos, etc. Neste Eixo, esteve presente a Fraternidade Irmão Sol com Irmã Lua, da JUFRA de Santa Rita-PB, e irmãos da OFS de João Pessoa-PB. Outros eixos e pautas no Grito foram: Trabalho; Gênero, LGBT e Etnia; Combate à criminalização da Juventude e dos Movimentos Sociais; Políticas Públicas; Memória, Mística e Utopia. Toda essa diversidade se fez presente em faixas, cartazes, palavras de ordem, indumentária, cantos, coreografias, gingado, falas, manifesto e reivindicações. O Grito foi encerrado na Praça dos Três Poderes, com a entrega ao Governo do Estado das reivindicações dos distintos segmentos. Ficando o alerta a todos os participantes, de que, encerrada aquele momento de luta, todos se sentissem convocados para o Pós-Grito, assumindo o calendário de lutas no pós-Grito.

-São Paulo-SP:

O Grito dos/as Excluídos/as de São Paulo-SP, no dia 07/09, começou as 08:00h, com a missa de abertura na Catedral da Sé, e em seguida centenas de pessoas seguiram em passeata em direção ao Monumento da Independência, no Ipiranga. Durante a concentração em frente à Catedral da Sé, índios da etnia Pankararé, de Osasco-SP, apresentaram uma dança típica da tribo. Jufristas da “Fraternidade JUFRA das Chagas” de São Paulo-SP marcaram na manifestação que reuniu movimentos sociais e pastorais sociais, chamando a atenção da sociedade para a luta contra as drogas e a corrupção, e a favor da reforma política, entre outros assuntos. Um das jufristas presentes afirmou: “Foi uma grande experiência, participar de um evento tão importante para nosso país. Mais que um evento, é um ato, para mostrar nossos anseios por uma sociedade mais justa e mais humana. A presença da JUFRA demonstra que nossos jovens, futuro da nação, estão conscientes e lutam por esta causa. Todos sentem na pele o que é uma sociedade desprezada, sem recursos, sem direitos, sem voz, que não consegue suplicar àqueles que estão no poder compaixão e misericórdia, pois estes estão surdos e fechados para si mesmo. E a JUFRA, mais uma vez, marca presença, seguindo os passos de Francisco, por aqueles que clamam um lugar na sociedade”.

-Aracaju-SE:

Jufristas da Fraternidade Irmão Menor, do Parque dos Faróis, cidade de Nossa Senhora do Socorro (região metropolitana de Aracaju-SE), participaram pela 1ª vez do Grito dos/as Excluídos/as promovido e organizado pela Arquidiocese de Aracaju-SE, Pastorais, Sindicatos e Movimentos Sociais. A concentração foi ao lado da Catedral, com apresentações, momento de mística e espiritualidade. Em seguida a marcha do Grito seguiu pelas ruas do Centro, onde acontecia o Desfile Cívico das Escolas onde, após certa espera, a Polícia Militar liberou as grades que separavam a manifestação da Avenida do Desfile, e assim os 2 trios-elétrico e mais de 3 mini-trios tomaram a avenida, repleta de pessoas que ainda acompanhavam o fim do desfile, e todos puderam ouvir e participar desta manifestação. A JUFRA entende que o Grito é um espaço oportuno para mostrarmos nossa cara e trazer para o meio do povo o jeito alegre e próprio do Carisma Franciscano, que esse ano trouxe para as ruas de Aracaju-SE um jeito diferente de Gritar e manifestar os nossos anseios e desejos por mais justiça, educação, direito a uma Juventude Digna. Participou do Grito também o Bispo Auxiliar Dom Henrrique Soares Costa. O Grito ecoou no Site da Arquidiocese, no Jornal da TV Sergipe e na TV Canção Nova.

-Bom Jardim-MA:

Os membros da Fraternidade Irmã Clara, de Bom Jardim-Maranhão, no dia 10 de setembro de 2011 reuniram todos os irmãos e irmãs da Fraternidade para realizar uma Celebração da Palavra comemorando a 17ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas por todo o Brasil. Refletiram o lema do 17º Grito: “Pela vida grita a Terra... Por direitos, todos nós!”, tratando de associar a preservação ambiental do planeta aos direitos do povo brasileiro.

-Mossoró-RN:

No dia 7 de Setembro de 2011, a Fraternidade Espírito Santo, da Juventude Franciscana de Mossoró-RN, participou da 17ª edição do Grito dos/as Excluídos/as, cujo lema é "Pela Vida grita a Terra... por Direitos todos nós!". A Fraternidade participou juntamente com o desfile da independência da cidade, a caminhada começou as 07:00hs da manhã, onde foi um momento único para a reflexão e ação em torno dos problemas sociais, reunindo organizações sociais e pastorais.

-Itambacuri-MG:

No dia 7 de setembro de 2011, a JUFRA, Fraternidade Santa Clara, de Itambacuri- MG, juntamente com o Setor de Juventude paroquial, o Assistente Espiritual Local Frei Anderson Teodoro e a irmã Regina Mara, promoveu o 17º Grito dos/as Excluídos/as. A caminhada foi realizada a noite, em frente à Prefeitura Municipal, percorrendo algumas ruas da cidade. O último Grito dos/as Excluídos/as de Itambacuri-MG foi realizado em 2003, ou seja há 07 anos, sendo que em 2011, a JUFRA procurou re-articular a realização da manifestação. Participaram também do Grito a Escola Estadual Madre Serafina de Jesus, onde os professores e professoras vêm lutando para melhores condições de trabalho e um salário justo, e também irmãos e irmãs da Ordem Franciscana Secular (OFS) e da Comunidade. Alguns gritos foram pela efetivação dos diretos à educação e saúde, contra o extermínio de jovens no Brasil, e por tantos outros direitos que muitos dos nossos irmãos e irmãs não têm acesso. O Grito foi concluído na Capela Santa Clara, onde foi realizada uma Celebração com todos e todas que estiveram na marcha, celebrando a volta do Grito à Itambacuri-MG.

-Santa Rita-PB:

No dia 11/09, as Comunidades, Grupos, Pastorais e Movimentos, articulados pela Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Alto das Populares, Santa Rita-PB) se mobilizaram para a Caminhada Silenciosa contra a Violência, com o tema: “Pela Exaltação da Santa Cruz, Justiça e Paz se abraçarão”. A Caminhada foi realizada, em profundo silêncio, no Alto das Populares, mais especificamente no Bairro Santa Cruz, onde se concentra o maior índice de violência de todo o município. As crianças foram à frente, abrindo a Caminhada, vestidas de branco, e logo atrás os adolescentes, jovens, adultos e idosos, vestidos de preto, em luto e em luta por vida, dignidade e esperança. Ao longo do caminho, foram realizadas três paradas para a reflexão, onde foram expostos os Gritos dos Excluídos e Excluídas: os Gritos das Crianças e Adolescentes, contra a Exploração e Abuso Sexual, em defesa de seus direitos e pela efetivação do Estatuto da Criança e do Adolescente que é tão incompreendido e difamado; os Gritos da Juventude, contra o assassinato de 54 jovens diariamente no Brasil, sendo cerca de 19 mil jovens assassinados por ano, 70% são jovens negros; Os Gritos pelos Direitos Sociais, contra os desmandos dos poderes públicos, ausentes na elaboração de políticas públicas que realmente atendam as necessidades do povo, não como favor, esmola ou recompensa, mas como Direito Humano. A Caminhada foi encerrada ao redor do Cruzeiro, símbolo do Bairro Santa Cruz, no lugar mais alto do Bairro. Na cruz, foi pendurado um grande pano preto, em protesto contra todos os tipos de violência. Encerrou-se cantando a Oração de São Francisco.

Também temos informações de participação de jufristas em outras localidades, como: Itabuna-BA, Franca-SP, Santarém-PA, Bacabal-MA, entre outras, que serão publicadas no Relatório Final.

Paz e Bem!


Emanuelson Matias de Lima (Elson)
Sub Nac de DHJUPIC da JUFRA do Brasil

Sobre Subsecretaria Nacional de DHJUPIC da JUFRA do Brasil

A Juventude Franciscana (JUFRA) é uma proposta de vivência cristã destinada a jovens que, por vocação, carisma ou índole, se comprometem com o ideal de vida inspirado na espiritualidade franciscana A JUFRA é, ou deve ser, um monte de gente nesse mundão a fora, que tomou consciência de que: primeiro, deve esforçar-se para melhorar o mundo; segundo, que a melhora do mundo começa a partir de si mesmo; e que é preciso no mundo uma escola que ajude as pessoas a tomarem consciência disso. (Essa escola é a própria JUFRA) A JUFRA tem estilo e características próprias. Por isso nessa fraternidade de jovens, os jufristas assumem todos os deveres e, por conseguinte, gozam de todos os direitos inerentes ao compromisso franciscano de vida secular Segundo o Estatuto da JUFRA do Brasil, ela é uma associação civil com caráter e objetivos dentro exclusivamente dos campos Religioso, Educacional e Social.

Nenhum comentário: